PERGUNTAS PARA TODOS

Participa nas sondagens Conheço imigrantes de... e Quais são os problemas dos imigrantes.
Basta clicar nas caixinhas, as que quiseres.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

OFICINA DE FORMAÇÃO

OFICINA DE FORMAÇÃO acreditada "Educação para a Cidadania Global na escola"
promovida por CIDAC em parceria com o Centro de Formação Professor Orlando Ribeiro
 

FINALIDADE: Desenvolver uma estratégia integrada e coerente de inserção da Educação para a Cidadania Global (ECG) nas práticas educativas.

OBJECTIVOS:
  • Consolidar conhecimentos sobre princípios, valores e conteúdos subjacentes à ECG.
  • Reflectir sobre as possibilidades e obstáculos de incorporação da ECG nas práticas educativas das escolas dos participantes.
  • Conceber actividades de ECG que se enquadrem no plano de actividades das escolas dos participantes.
  • Construir e experimentar metodologias, actividades e materiais de ECG.
  • Incrementar o trabalho de reflexão e construção conjunta entre escolas.
DESTINATÁRIOS:
  • a professores e professoras do 2.º ciclo, 3.º ciclo e Ensino Secundário que têm interesse em desenvolver/consolidar a ECG na escola
  • a educadores e educadoras de educação não formal que têm interesse em desenvolver/consolidar a ECG na sua prática educativa
LOCAL: Lisboa
DURAÇÃO: Novembro de 2010 a Abril de 2011
HORAS: 50 horas (25 presenciais + 25 de trabalho autónomo)
MÓDULOS PRESENCIAIS: 19 de Fevereiro, 12 de Março, 9 de Abril, 7 de Maio e 4 Junho 2011 (sempre das 10h00 às 16h15)



INSCRIÇÕES: Até dia 31 de Janeiro 2011, através do envio da ficha de inscrição (em anexo) preenchida para o e-mail ed-ps@cidac.pt

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

terça-feira, 6 de julho de 2010

Parabéns...Rita e Artur . Vocês merecem...Ser...Felizes.
Tudo de BOM p'ra vocês.
Um bem-haja ao anónimo que ligou para a SIC e ajudou a realizar uma parte do vosso sonho. Ainda há pessoas boas felizmente! Bora lá para a frente minha gente.
Um grande abraço,
ZCarlos

domingo, 27 de junho de 2010

UN Secretary-General invites you to be a Citizen Ambassador

É um desafio engraçado, tornarmo-nos Embaixadores da Cidadania. Em todo o mundo.
Porque não tentar?... Por mim, disponho-me a fazê-lo e a ajudar quem o queira fazer também. Força!
Tantas vezes que nos interrogamos como podemos participar ativamente nas grandes questões do mundo. Esta talvez seja uma oportunidade interessante.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

DIVULGAÇÃO CD| recurso didáctico multimédia "Transformando Mundos"

O CIDAC tem o prazer de convidá-lo/a a desenvolver com a(s) sua(s) turma(s) o recurso de Educação para a Cidadania Global: “Transformando Mundos – a viagem de Yanah e Manuel pelo planeta Terra”.

O CD contem um recurso didáctico multimédia, concebido por um grupo de trabalho de educadoras, que foi projectado para ser utilizado do pré-escolar ao ensino secundário. Conta a história de Yanah e de Manuel, dois jovens habitantes da Estrela Magenta, que sentem vontade de conhecer novos mundos e vêem parar ao nosso planeta.

Repleto de personagens que vão tricotando o seu crescimento a partir das suas vivências, dúvidas e escolhas, e de desafios que levam a questionar e a agir, este recurso torna-se uma ferramenta de apoio ao desenvolvimento de temas socialmente relevantes que permitem chamar a atenção sobre a existência de desigualdades entre pessoas, regiões e países, e à necessidade de promover uma participação comprometida que luta contra tais desigualdades.

Ao promovermos uma Educação para a Cidadania Global não pretendemos introduzir novos conteúdos, mas reforçar os que são transversais a todas as áreas disciplinares e não disciplinares e que desafiam alunos e alunas a olharem criticamente para o mundo onde vivemos, a fazerem perguntas sobre a forma como funciona, a actuarem sobre as problemáticas globais, fortalecendo os laços de solidariedade e de respeito mútuo necessários à construção de um mundo mais justo e equitativo.

Como aceder ao recurso? Se quiser adquirir o CD poderá visitar-nos na Rua Pinheiro Chagas, 77 - 2.º Esq. ou então enviar-nos um e-mail a solicitar o seu envio (ed-ps@cidac.pt). Em breve, estará também disponível no site do CIDAC.

sábado, 15 de maio de 2010

Sessões de apresentação do recurso didáctico - Transformando Mundos

TRANSFORMANDO MUNDOS – a viagem de Yanah e Manuel pelo planeta Terra

O CIDAC tem o prazer de convidar todos os educadores e educadoras, convictos da importância de promover uma Educação para a Cidadania Global, a participar na presente sessão de apresentação do recurso didáctico “Transformando Mundos – a viagem de Yanah e Manuel pelo planeta Terra”.
Mas, de que recurso se trata? É um recurso multimédia, concebido por um grupo de trabalho de educadoras e que foi projectado para ser utilizado, no ensino formal e não formal, do pré-escolar ao Ensino Básico. Conta a história de Yanah e de Manuel, dois jovens habitantes da Estrela Magenta, que sentem vontade de conhecer novos mundos e vêem parar ao nosso planeta.
Repleto de personagens que vão tricotando o seu crescimento a partir das suas vivências, dúvidas e escolhas, e de desafios que levam a questionar e a agir, este recurso torna-se uma ferramenta de apoio ao desenvolvimento de temas socialmente relevantes que permitem chamar a atenção sobre a existência de desigualdades entre pessoas, regiões e países.

SETÚBAL
Dia 27 de Maio pelas 18h45m na Biblioteca da Escola Secundária D. João II


Pode fazer a sua inscrição na própria escola, no blogue : http://transformandomundos.blogspot.com/
ou pelo Email: indicando: nome, escola, grupo disciplinar e nível de ensino.
Aguardamos pela sua visita.

1ª Sessão de Apresentação do recurso - Transformando Mundos

Sessão de Apresentação do Recurso Didáctico interactivo - Transformando Mundos em Ovar, na Biblioteca da Escola António Dias Simões.
Foi assim...



quinta-feira, 13 de maio de 2010

Sessões de apresentação do recurso didáctico


TRANSFORMANDO MUNDOS – a viagem de Yanah e Manuel pelo planeta Terra

O CIDAC tem o prazer de convidar todos os educadores e educadoras, convictos da importância de promover uma Educação para a Cidadania Global, a participar na presente sessão de apresentação do recurso didáctico “Transformando Mundos – a viagem de Yanah e Manuel pelo planeta Terra”.

Mas, de que recurso se trata? É um recurso multimédia, concebido por um grupo de trabalho de educadoras e que foi projectado para ser utilizado, no ensino formal e não formal, do pré-escolar ao Ensino Básico. Conta a história de Yanah e de Manuel, dois jovens habitantes da Estrela Magenta, que sentem vontade de conhecer novos mundos e vêem parar ao nosso planeta.

Repleto de personagens que vão tricotando o seu crescimento a partir das suas vivências, dúvidas e escolhas, e de desafios que levam a questionar e a agir, este recurso torna-se uma ferramenta de apoio ao desenvolvimento de temas socialmente relevantes que permitem chamar a atenção sobre a existência de desigualdades entre pessoas, regiões e países.

OVAR

Dia: 14 de Maio de 2010
17h00
Biblioteca da Escola António Dias Simões, Ovar

sexta-feira, 30 de abril de 2010

É possivel participando, agindo

A turma da sala nº10 da EB1/JI das Ribeiras convida-vos a espreitar como desenvolvemos o desafio "Sonhos de Andorinha".

http://saladez-eb1jiribeiras.blogspot.com/search/label/Projecto%20Conectando%20Mundos

quinta-feira, 25 de março de 2010

Canção da EB1/JI das Ribeiras

Liberdade de sonhar


Como os nossos antepassados
Somos livres para migrar
Sem limites de fronteiras
Como as andorinhas, voar!

Respeito ao migrar
A Liberdade de sonhar
Respeito ao migrar
A Liberdade de sonhar

Aprender outras línguas,
Outras tradições
Com respeito e responsabilidade
Por todas as nações.

Respeito ao migrar
A Liberdade de sonhar
Respeito ao migrar
A Liberdade de sonhar

Conhecer novos amigos
Com eles crescer e brincar
Viver em respeito
Poder trabalhar e sonhar!

segunda-feira, 8 de março de 2010

Conhecemos uma História de Vida



Hoje foi dia de entrevista na aula com uma imigrante ucraniana. A nossa professora convidou-a e ela aceitou logo. Todos nós tentámos encontrar alguém, mas todos recusaram, porque estavam a trabalhar ou tinham um certo receio em falar de uma situação um pouco delicada.
Foi mesmo bom. A nossa entrevistada era muito culta. Possui um curso profissional de costureira e ainda tem um curso universitário de finanças. Falou-nos de muitos aspectos da Ucrânia e das dificuldades que a obrigaram a migrar.
Insistiu connosco para que estudemos e nunca nos deixemos cair no pessimismo. Mesmo que tenhamos muitos problemas, há que ser sempre optimista.
A grande dificuldade que teve de enfrentar e ainda continua a enfrentar é a língua. Ela gostava que na nossa cidade houvesse um curso de Língua e Cultura Portuguesa. Ainda comprou um livro para aprender as letras e algum vocabulário, mas sem praticar a oralidade, é impossível conseguir falar a nossa língua.
Ela aconselhou-nos a aprendermos o Francês, o Inglês e o Alemão para nunca termos dificuldades na vida, se precisarmos deslocar-nos ao estrangeiro ou migrar. Mas o melhor é nunca deixarmos o nosso país, apesar de ela gostar do nosso e não o trocar por outro para migrar. O dinheiro não é tudo. Também é preciso paz e saborear as pessoas e o que nos rodeia.
Ficámos a saber que Lamego é para ela uma cidade onde se sente muito bem, porque soubemos acolhê-la.


E. B. 2,3 de Lamego - 6º 1

domingo, 7 de março de 2010

A humanidade instintiva nos animais

Este vídeo podia ter a ver com racismo, com instintos, com compaixão, com espanto.
No fundo, é um vídeo que mostra que temos na nossa condição animal as bases para tratar bem os outros. Por exemplo, quando o outro é um imigrante.
Veja-se bem a que ponto vai a "humanidade instintiva" do leopardo. Para se manter junto do macaquinho, deixa a hiena levar a comida que caçara... e que, na verdade, bem necessita.

Literhart - Dica de Leitura: "O círculo dos mentirosos - contos filosóficos do mundo inteiro" | literhart.spaceblog.com.br

Literhart - Dica de Leitura: "O círculo dos mentirosos - contos filosóficos do mundo inteiro" literhart.spaceblog.com.br

segunda-feira, 1 de março de 2010

Arte, Migrações e Desenvolvimento

HISTÓRIA EM CURSO DE Hannah Collins Fotografia e Vídeo

Ao chegar a Madrid no dia 19 de Fevereiro de 2010, para visitar a ARCO, Feira de Arte Contemporânea de Madrid 2010, levava comigo a ideia de visitar também o espaço de arte Caixa Fórum de Madrid, pois tinha ouvido falar muito dele, não só como espaço de arte, mas também como obra de arte arquitectónica. Neste, o que não esperava encontrar, era uma exposição de fotografia e vídeo, onde as películas "La Mina, Paralelo e História em Curso" que dá o nome à exposição, tratavam da temática Migrações, a mesma temática do Projecto Conectando Mundos e cujas preocupações se mantêm constantes tanto na exposição como no projecto.
A fugaz vida moderna entrelaça entre memória e história a vontade de expressar estas experiências verdadeiras através das imagens.
Os filmes são explorações ricas e completas do poder de localização que combina várias formas de questionar.
Que significa chegar a um outro mundo dominado por forças imprevistas?
Embora em contextos diferentes, as imagens mostram-nos que a procura de uma vida melhor, uma vida mais estável, dá origem a outras dificuldades. A procura de emprego, os problemas sociais, políticos, económicos e por vezes até raciais são entraves e forças imprevistas.
A arte de Hannah Collins é poética e ao mesmo tempo política. Trata-se de uma arte com um impulso realista que descreve a complexidade do mundo tal e qual é, mas desejando que ele seja melhor.

Núcleo de Educação Ambiental da Escola Básica 2/3 Bernardino Machado em Joane
Coordenador - Arlindo Araújo

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Migração e Hospitalidade

Os idealistas europeus definem a hospitalidade como um dever moral de qualquer ser humano, ou seja, o fundamento alicerça-se no dever de reconhecimento de que todos somos iguais em direitos e deveres sobre a Terra, desejando, assim, o nosso bem comum. As sociedades serão abertas, multiculturais, reconhecendo a igualdade de direitos de todos os seres humanos, independentemente da sua raça, nacionalidade, religião ou condição social.

Apesar de todas as vicissitudes de que têm sido alvo aqueles que procuram outras áreas e regiões do planeta, movidos por questões de vária ordem, eles resistem, adaptam-se e sobrevivem, longe das suas raízes e famílias. Ser hospitaleiro é ser condescendente, saber aceitar, compreender para construir uma sociedade de culturas identitárias e que vivem em constante diversidade cultural. É uma questão de nos colocarmos no lugar do outro.
O multiculturalismo não empobrece. Só nos enriquece e pede-nos que observemos e reconsideremos todas as nossas condutas e comportamentos daqueles que, de repente, nos interpelam e nos estendem a mão para uma ajuda. Não custa nada. Desde os romanos que a hospitalidade é um dom, não só par aquele que recebe como para aquele que é recebido.
Vejamos um poema que escolhi e nos faz pensar (eu sou assim, adoro literatura, desculpem-me!):

A Ilusão do Migrante (Carlos Drummon d'Andrade)

Quando vim da minha terra,
se é que vim da minha terra
(não estou morto por lá?),
a correnteza do rio
me susurrou vagamente
que eu havia de quedar
lá donde me despedia.
Os morros, empalidecidos
no entrecerrar-se da tarde,
pareciam me dizer
que não se pode voltar,
porque tudo é conseqüência
de um certo nascer ali.

Quando vim, se é que vim
de algum para outro lugar,
o mundo girava, alheio
à minha baça pessoa,
e no seu giro entrevi
que não se vai nem se volta
de sítio algum a nenhum.

Que carregamos as coisas,
moldura da nossa vida,
rígida cerca de arame,
na mais anônima célula,
e um chão, um riso, uma voz
ressoam incessantemente
em nossas fundas paredes.

Novas coisas, sucedendo-se,
iludem a nossa fome
de primitivo alimento.
As descobertas são máscaras
do mais obscuro real,
essa ferida alastrada
na pele de nossas almas.

Quando vim da minha terra,
não vim, perdi-me no espaço,
na ilusão de ter saído.
Ai de mim, nunca saí.
Lá estou eu, enterrado
por baixo de falas mansas,
por baixo de negras sombras,
por baixo de lavras de ouro,
por baixo de gerações,
por baixo, eu sei, de mim mesmo,
este vivente enganado,
enganoso.
São versos que nos fazem pensar...

Isilda Lourenço Afonso - E.B. 2,3 de Lamego









sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Power Point - Aps do Conectando Mundos


Olá!

Após o Encontro de Professores em Sintra, elaborei um PP para aps do proejcto à turma de trabalho e à direcção da escola EB 2,3 Rosa Ramalho - Barcelinhos - Barcelos: GALO... Conhecem? http://www.eb23-rosaramalho.edu.pt/

A nossa Plataforma: http://moodle.eb23-rosaramalho.edu.pt/






quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Visitas orientadas "Cidadania e Desenvolvimento"

O Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD) irá realizar, nos dias 21 e 22 de Abril de 2010, a 3ª Edição de “Os Dias do Desenvolvimento” subordinada ao tema “Cidadania e Desenvolvimento”.

O evento engloba exposições, conferências e seminários e permitirá o conhecimento e a divulgação de actividades da cooperação com países em Desenvolvimento, em particular Países de Língua Oficial Portuguesa.

O programa completo em http://www.diasdodesenvolvimento.org/dotnetnuke/default.aspx.

Neste contexto, temos o prazer de convidar todos os alunos e alunas do ensino básico e ensino secundário, e respectivos professores/as, a participar neste evento. Através de uma visita orientada.

Durante 90m pretendemos envolver as turmas na temática do Desenvolvimento de uma forma participativa, desafiando-as com um percurso composto por descobertas e pequenas actividades relacionadas com as diferentes iniciativas que têm sido desenvolvidas em prol de um mundo mais justo, equitativo e solidário.

Caso esteja interessado poderá inscrever a sua turma através do preenchimento do formulário de inscrição
http://www.ipad.mne.gov.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=674&Itemid=1
até dia 15 de Março de 2010.

Caso pretenda inscrever mais do que uma turma deverá preencher um formulário por cada turma. Os formulários deverão ser enviados para noemia.marques@ipad.mne.gov.pt

Posteriormente receberá um e-mail de confirmação da inscrição e um guia pedagógico que servirá de apoio à preparação da visita, ao seu acompanhamento e à consolidação da experiência em momentos posteriores.

Equipa organizadora: CIDAC, Graal, ISU e Mó de Vida

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

As razões dos movimentos migratórios

As principais razões dos movimentos migratórios são a fome, pobreza, a exclusão social e a perda das condições viáveis de vida.
Este tema é já um clássico, mas conserva ainda um poder enorme para captar a motivação e o engenho de todos, especialmente dos mais novos:


EB2 GASPAR FRUTUOSO no Conectando Mundos - Sonhos de Andorinha

A escola EBI de Ribeira Grande está novamente a participar neste projecto.

As professoras Fátima Figueiredo e Filomena Ferreira da EB2 Gaspar Frutuoso encontram-se a trabalhar com a turma do 5º B.




Aqui vão algumas informações e sites interessantes da nossa terra:

Para comemorar a emigração açoreana para o Canadá, no ano que faz 55 anos de emigração oficial o Museu da Emigração Açoriana coordenou uma peça de teatro sobre a viagem de um pioneiro, Afonso Maria Tavares, intitulada "Sonhos de Abalar".


E falando de Andorinhas . . .
aqui vai o nosso Cagarro



  • SOS Cagarro


Para os alunos e professores que quiserem mais informações sobre uma das nossas aves migratórias.
. Portal do Governo Regional dos Açores
Fátima Figueiredo - EB2 Gaspar Frutuoso

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

A propósito da ANDORINHA, vamos ler Jacques Prévert...

Caros colegas e amigos deste espaço cooperativo e colaborativo!

Aqui estou eu de novo. É a primeira vez, desde Julho de 2009, ou seja, desde que terminámos todas as activiades do Conectando Mundos sobre "O Efeito Borboleta". Já comecei a trablhar com a turma e, neste momento, quis partilhar convosco um poema de Jacques Prévert que se relacina com a idea de pássaro, mas que se aplica ao tema que desenvolvemos e nos dá inspiração e uma certa ideia de beleza que as aves nos transmitem. Além disso, quem o ler, dá conta do que é o sabor e o fascínio que sentimos pela andorinhas, aqueles seres qu simbolizam a pureza, a coragem, a inocência e o amor filial à Pátria (migração) e a relação mãe-filho.

Saboreiem as palavras sempre sábias e belas de Prévert.




Para desenhar um pássaro

Pintar primeiro uma gaiola
com uma porta aberta.
Pintar depois
qualquer coisa bonita
qualquer coisa simples
qualquer coisa bela
qualquer coisa útil
para o pássaro.

Pendurar depois a tela numa árvore
num jardim
num bosque
ou numa floresta
escondermo-nos atrás do tronco
sem falar
sem um gesto...

Às vezes, o pássaro chega depressa,
mas também pode acontecer que demore muitos anos
antes de se decidir.

Não se desencorajem.
Esperem.
Esperar anos, se for preciso,
a rapidez ou a lentidão da vinda do pássaro
com o êxito do quadro.

Quando o pássaro chegar,
se acaso chega,
guardar o mais rigoroso silêncio.
Esperar que ele entre na gaiola.

E depois dele entrar
fechar docemente a porta com o pincel.

Depois,
apagar uma a uma todas as grades
tendo o cuidado de nunca tocar nas penas do pássaro.
Desenhar depois a árvore,
escolhendo o mais belo dos seus ramos,
para o pássaro
pintar, igualmente, a verde folhagem e a frescura do vento,
a poeira do sol,
o rumor dos bichinhos da erva no calor do Verão
e esperar que o pássaro cante.

Se o pássaro não canta
é mau sinal.
Indica que o quadro é mau.
Mas se ele canta, ai que bom!
É sinal que podemos assinar.

Nessa altura, arranca-se, suavemente,
uma das penas do pássaro,
e escreve-se o nosso nome, num canto do quadro.

Jacques PREVERT (1900-1977)


Isilda Lourenço Afonso -E.B. 2,3 de Lamego




















A "nossa" escola é um lugar especial onde se encontram mundos, se vivem experiências e se ultrapassam dificuldades. Pode até não ser o mais fácil, o melhor mas é certamente bom porque nele estamos nós.

Onde estamos! Quem somos! A freguesia do Vale da Amoreira pertence ao Concelho da Moita (concelho muito rico e de grande diversidade de colectividade e associações - cerca de 110 -), distrito de Setúbal, que faz parte integrante da Grande Área Metropolitana de Lisboa. A freguesia do Vale da Amoreira, muito embora tenha sido planeada para fornecer melhores condições de vida à população, acabou por traduzir-se num espaço crítico e de precariedade, onde os problemas de exclusão social estão muito patentes. Trata-se de um espaço complexo, com fraca qualidade habitacional, com problemas derivados da grande heterogeneidade cultural e em situação de pobreza, onde a oferta de emprego é escassa, favorecendo a sua condição de “dormitório”, ainda com algumas carências ao nível de equipamentos comunitários e de infra – estruturas de transportes.

No final dos anos 60 inicia-se a construção do Bairro do Fundo de Fomento de Habitação, apoiada pela Câmara Municipal da Moita, alterando desta forma a sua fisionomia de espaço rural. A partir dos anos 70 deu-se uma explosão demográfica, que chegou a ser superior a 200%, no período de 80/86.Com expressão em dois momentos específicos, um em 1974, quando estavam já construídos 604 fogos e onde várias famílias carenciadas foram alojadas. Alguns destes fogos, cerca de 20% foram cedidos com rendas muito baixas e alguns gratuitamente. O outro em 1975 com o grande fluxo de população vinda das ex-colónias, principalmente de Angola e Moçambique, que ocuparam de forma desordenada fogos por terminar. Na luta pela sobrevivência, muitas pessoas, sem ainda estarem concluídos os fogos de habitação, localizaram-se nessa área, carregando o estigma da “despromoção” que, por vezes, ainda hoje é viver para o Vale da Amoreira.

Actualmente, a população do Vale da Amoreira é calculada em cerca de 12.360 habitantes (censos de 2001), repartidas por 3.572 famílias, tendo-seregistado uma quebra de população face aos censos de 1991, que identificavam 13.522 indivíduos. No entanto, alguns diagnósticos e estimativas dasassociações locais apontam para uma população entre as 17.000 e 18.000 pessoas (tendo em conta que grande parte desta população não se encontraria documentada ou legalizada).

Em seguida vamos mostrar um pouco da nossa escola.